19 de junho de 2021

Bitcoin vai virar dinheiro de tráfico? Moeda digital receberá 1ª atualização em 4 anos; saiba se ainda vale a pena investir

A principal criptomoeda do mercado irá passar por atualização em novembro que pode tornar as transações totalmente irrastreáveis – Especialista em criptomoedas responde se ainda vale a pena investir e desbloqueia benefício para investidores; confira

Bitcoin passará pela 1ª atualização em 4 anos e pode se tornar menos rastreável, corroborando para a tese de que a moeda é dinheiro de tráfico. – Imagem: Shutterstock

Depois de passar por duras quedas e chegar aos US$ 33 mil recentemente, o bitcoin está prestes a receber a sua primeira atualização em quatro anos. Por fim, mineradores de todo o mundo entraram em consenso e decidiram aprovar a Taproot (em tradução livre, “raiz principal”), update que chegará em novembro e que já está sendo amplamente discutido por investidores e analistas de criptomoedas.

Com a atualização, o bitcoin passará a ter um sistema de segurança mais apurado e fará uso das assinaturas digitais, com o intuito de garantir maior privacidade nas transações. No entanto, essa mudança em particular faz com que seja ressuscitada uma questão antiga sobre o bitcoin: ele vai virar dinheiro de tráfico?

Nunca foi necessário se identificar para fazer transações com BTC. Esse é um dos princípios das criptomoedas: uma rede descentralizada, que independe de instituições como um Banco Central por trás. Mas, a atualização apelidada Taproot pode tornar tudo isso ainda mais sigiloso.

Para o especialista em criptomoedas, André Franco, esse é um dos principais receios do mercado neste momento. Se antes o bitcoin já era ‘tachado’ como ilegal, como ele será visto depois de novembro?

A seguir, separei algumas questões para analisarmos se a atualização será boa ou ruim para o futuro do bitcoin e, ao final, o investidor decidirá se ainda vale a pena investir:

No mesmo caminho do Ethereum

Se você acompanha o mercado de criptomoedas, provavelmente já ouviu falar nele. O Ethereum é a segunda cripto de maior valor atualmente, a US$ 2.432 no momento em que escrevo. Mas, embora esteja muito atrás do bitcoin em questão de preço, ele está bem mais à frente quando o assunto é utilidade.

A blockchain do Ethereum (ETH) já comporta a rede de NFTs (tokens não fungíveis), DeFis (finanças descentralizadas) e outros tipos de contratos inteligentes. Isso, inclusive, é o que faz com que ele seja o ‘queridinho’ de especialistas e tenha constantes atualizações. A última foi no ano passado e deu origem ao Ethereum 2.0.

Agora, o bitcoin também decidiu entrar na jogada e passará a aceitar contratos inteligentes. Isso fará com que a rede passe a aceitar mais tipos de contratos, tornando-a mais ampla e uma concorrente direta da rede do Ethereum.

Aqui, temos 1 ponto positivo para a atualização do bitcoin.

Cuidado com os erros do passado

Mas, vale ressaltar que a atualização está prevista para novembro deste ano. Portanto, os mineradores e programadores da rede terão cerca de quatro meses para fazer testes e não cometer os mesmos erros de 2013.

Na ocasião, uma das atualizações com a criptomoeda deu errado e o seu preço acabou despencando -23% em questão de segundos. Sendo assim, todo cuidado é pouco. Um bug no sistema poderia destruir toda a confiança nas criptomoedas, eliminando-as de vez.

Contratos mais baratos e menores

Um outro ponto a favor da atualização do bitcoin é que os contratos inteligentes serão mais baratos e menores em termos de espaço que ocupam na blockchain. Assim, à medida que mais programadores constroem contratos inteligentes em cima da rede, há potencial para o bitcoin se tornar mais um no mundo das DeFi.

Além disso, esses contratos também possibilitam a criação de uma série de aplicativos e negócios. Ou seja, investidores poderão não apenas comprar, mas também negociar tokens de jogos virtuais, obras de arte digitais e serviços bancários, o que é ótimo para a rede e para o bitcoin.

Transações serão indistinguíveis?

A maior e mais significativa mudança desta atualização será que o bitcoin passará a usar um sistema de segurança mais apurado, com assinaturas ilegíveis. Na prática, isso quer dizer muito mais privacidade, tornando as transações simplesmente indistinguíveis para quem estiver de fora, sobretudo as mais complexas e que envolvem várias assinaturas.

No entanto, esse não é exatamente um ponto 100% positivo. Com o bitcoin tornando-se menos rastreável, pode surgir um duplo sentido para o mercado. Se por um lado as transações mais seguras e confidenciais vão em linha com a filosofia da criptomoeda (ser um sistema descentralizado), por outro levanta a antiga suspeita de que o bitcoin poderia estar sendo usado como dinheiro de tráfico.

Atualização é ou não é positiva?

Depois de tudo isso, pode ser que você tenha ficado se questionando se a atualização do bitcoin, a Taproot, é realmente positiva. Bom, de modo geral, o especialista André Franco afirma que sim. Embora esteja receoso quanto à imagem do bitcoin daqui pra frente, ele está otimista diante das mudanças da rede da criptomoeda.

Hoje, o Ethereum domina como o blockchain preferido para as DeFi e NFTs. Agora, o bitcoin poderá entrar ‘com tudo’ na concorrência e se tornar, quem sabe, a principal plataforma de negociação desses ativos descentralizados.

Se quiser, você pode aproveitar essa ‘virada de mão’ do bitcoin para fazer dinheiro. Franco está tão confiante sobre a nova atualização que está dando aos investidores até R$ 100 em uma conta no Mercado Bitcoin para investir na criptomoeda. É só destravar o benefício aqui.

Além disso, o especialista também quer dar acesso à uma lista com outras 14 criptos que irão se beneficiar deste movimento até novembro. Trata-se de um material apurado por um dos melhores do mercado, que já entregou 1.750% de lucro a quem seguiu as indicações.

R$ 100 em uma conta no Mercado Bitcoin, é verdade?

Sei que quando a esmola é demais, todo santo desconfia. Mas assim que entender o raciocínio de Franco, você não terá outra escolha a não ser aceitar estes R$ 100 para investir em bitcoin. Pense comigo:

André Franco é analista de criptomoedas na Empiricus, maior casa de análise financeira do país, com mais de 420 mil assinantes. Tanto ele quanto a empresa tem um único objetivo: democratizar o acesso à educação financeira ao levar indicações de investimentos a cada vez mais brasileiros.

Ao decidir dar até R$ 100 para investir em bitcoin, Franco reforça a confiança dele na tese de bitcoin e ainda ajuda pessoas que têm receio de investir em criptomoedas, atraindo mais seguidores para as suas próximas recomendações.

Da mesma forma, o Mercado Bitcoin (parceiro da Empiricus nesta campanha), é a maior plataforma de compra e venda de ativos digitais da América Latina, com mais de 2 milhões de clientes cadastrados. A empresa está alinhada com o pensamento do especialista, buscando cada vez mais pessoas para investir em criptomoedas.

Viu como tudo está interligado?

Para eles, faz todo o sentido do ponto de vista empresarial. Já do lado do investidor, é a chance ideal para se posicionar em um ativo que está prestes a passar por uma virada, algo que pode alçá-lo a outro patamar… Sem ter que tirar nenhum real do bolso.

O bitcoin é a principal criptomoeda do mercado de ativos digitais e não deve parar por aqui. A nova atualização, ainda que incerta, deve levá-lo a outro nível como ativo, fazendo-o assumir o topo do pódio das criptos de uma vez por todas.

Você já deve estar careca de saber dos ganhos que o bitcoin rendeu aos investidores ao longo dos anos. Se pegarmos o desempenho histórico do BTC, veremos que quem segurou o dinheiro aplicado nesta criptomoeda teve retornos absurdamente lucrativos:

  • Em três anos, a probabilidade de ganhar dinheiro foi de 99,86%;
  • Em cinco anos, a chance de ganhar dinheiro foi de 100%; e
  • A média de retorno nesse espaço de tempo foi de 25.000%.

Mas se você não pegou essas chances, não importa. O que importa agora é que você está tendo uma nova oportunidade para investir no bitcoin e entrar para as estatísticas sem precisar tirar dinheiro do bolso.

Daqui algum tempo, provavelmente estarei contando sobre como os investidores que acreditaram na atualização do bitcoin ganharam dinheiro. Já pensou em estar entre um destes felizardos?

O mercado pode estar receoso agora, mas acredite, este é o momento certo. Como dito anteriormente, Franco não costuma errar em suas expectativas quanto ao criptomercado. Desde quando começou até agora (de 22/08/2017 a 01/06/2021) ele já capturou 1.750,43% de lucro.

Mas não vou mentir pra você: esses ganhos não foram apenas com bitcoin. Ele também acompanha outras criptos, algumas delas fora do radar, que acompanham a valorização da principal criptomoeda do mercado.

E, se elas acompanham o desempenho do BTC, não é preciso pensar muito para concluir que, se a atualização for bem sucedida, elas serão levadas ainda mais para cima. E você pode ter acesso a elas também.

Neste documento, André Franco explica exatamente como você pode liberar até R$ 100 em uma conta no Mercado Bitcoin para investir, além de uma lista com outras 14 criptomoedas que vão andar junto com o BTC.

Fonte: Seu Dinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *