6 de dezembro de 2021

Cãoterapia, uma ideia bem-sucedida contra a ansiedade na escola

Mascote ajuda estudantes a vencerem tensões no Centro Educacional 8 do Gama

A interação entre humanos e caninos é antiga e atravessa a história. Que o digam os estudantes do Centro Educacional 8 (CED 8) do Gama. Nina, uma cadela de 5 meses de idade, começou a frequentar a escola com a missão de ajudar os alunos a vencerem crises de ansiedade, deixando o ambiente mais alegre e proporcionando momentos de relaxamento e união. É a grande estrela do projeto Cãoterapia.  Já conhecida como a nova integrante da família do CED 8, Nina começa a mostrar que é um símbolo de esperança e recomeços.

A Vitória Aline (E)afaga a a cadela Nina enquanto a mascote está no colo da diretora Eufrázia: “Ela me anima e acalma” | Foto: André Amendoeira/SEE

“Estudamos muito, e tive a ideia de trazer o animal como uma estratégia para auxiliar os estudantes nesses momentos de crise de ansiedade”Eufrázia de Souza, diretora do CED 8 do Gama

Desde 2019 incentivando ações ligadas à saúde mental dos alunos, o CED 8, em parceria com uma faculdade particular do Gama, já oferece sessões em grupo para atendimento psicológico dos estudantes e seus pais. O projeto Cãoterapia é mais um passo nessa iniciativa. A partir da observação das situações de estresse desenvolvidas durante a pandemia, a diretora da escola, Eufrázia de Souza, reuniu-se com os professores para ajudar a turma.

“Depois da volta presencial, percebemos que os estudantes estavam muito debilitados”, conta ela. “Eu ficava horas e horas conversando com eles nesses corredores da escola. A partir daí eu e colegas estudamos muito, e tive a ideia de trazer o animal como uma estratégia para auxiliar os estudantes nesses momentos de crise de ansiedade.”

Amizade para todos

Aluna do terceiro ano do ensino médio, Débora Frazão relembra: “Chegamos aqui muito desanimados. Parecia que a gente não conhecia mais ninguém. O pessoal da escola percebeu e ficou preocupado. Começaram a colocar vários cartazes de incentivo nos murais, e a Nina veio para deixar a gente muito mais tranquilo e unido. Eu estava muito triste e, quando vi a Nina, parece que fiquei outra. Me senti mais animada e concentrada para as aulas. Foi uma surpresa maravilhosa”.  Outra aluna, Vitória Aline, complementa: “Nina me anima e me acalma”.

Inicialmente, o projeto tinha como foco estudantes com autismo e deficiência intelectual, mas a direção da escola percebeu que o Cãoterapia seria interessante para todo o grupo. “A sociedade viveu períodos de perda, choro e tristezas imensas”, avalia Eufrázia. “Aqui na escola não foi diferente. Recebemos muitos estudantes assim, e a Nina foi uma forma de trazer uma nova forma de trabalhar sentimentos como ternura, amizade, companheirismo”.

Trabalho multidisplinar

A chegada de Nina, assim, marca um novo tempo no CED 8 do Gama, que atende 1.280 estudantes do nono ano ensino fundamental ao terceiro ano do ensino médio. A escola já começou a trabalhar outros temas a partir da nova moradora da unidade.

A primeira casa da cadela foi construída pelos alunos com materiais recicláveis. Durante essa atividade, os professores puderam trabalhar conceitos importantes, como sustentabilidade, ciência e cidadania.

Para 2022, o projeto Cãoterapia segue a todo vapor. A meta é ampliar as ações nas casas dos estudantes durante os fins de semana. A direção do CED 8 também apresentou o projeto a outras unidades da rede púbica do Gama, para compartilhar o sucesso da iniciativa.

 

*Com informações da Secretaria de Educação

Fonte: Agência Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *