14 de outubro de 2021

Dia da Pecuária reforça importância do setor para o DF

Atividade tem um valor bruto de produção de cerca de R$ 1,5 bilhão na região, gerando renda, emprego e alimentos

Com um valor bruto de produção de aproximadamente R$ 1,5 bilhão no Distrito Federal, a pecuária representa uma parte importante do agronegócio, gerando renda, emprego e alimentos para a região. No Brasil, celebrado anualmente em 14 de outubro, o Dia da Pecuária reforça a importância da cadeia produtiva no país.

Bovinos integram grande parte da cadeia produtiva, que inclui ainda outras espécies| Fotos: Divulgação/Emater-DF

Além de bovinos, a cadeia também inclui suínos, aves, cabras, ovelhas e peixes. “Quando falamos de pecuária, não estamos falando apenas de bovinos, mas de toda a produção animal da área rural”, afirma o coordenador de Ruminantes e Equídeos da Emater-DF, Maximiliano Cardoso.

“Historicamente, o agronegócio participa de cerca de 20% a 25% do produto interno bruto (PIB). A pecuária é responsável, em média, por 30% do PIB do agronegócio e também por uma grande parte dos empregos formais no campo”, afirma o especialista.

Avicultura

A avicultura representa 78% do valor bruto da produção pecuária do DF e gera 5 mil empregos diretos | Foto: Divulgação/Emater-DF

Além da bovinocultura, outras cadeias produtivas da área animal são também de grande importância para o Distrito Federal. Um exemplo é a avicultura, que representa 78% do valor bruto da produção pecuária do DF e gera 5 mil empregos diretos. Segundo a coordenadora de Avicultura e Suinocultura da Emater-DF, Camila Braz Ribeiral, essa atividade vem ganhando espaço e destaque nos últimos anos e se mostrando um bom negócio para pequenos e médios produtores.

A produtora rural Ana Durce da Paixão já percebe os pontos positivos e também os desafios relacionados ao crescimento da atividade. “O consumo está aumentando, e a produção aumentando no mesmo ritmo”, afirma. “Minhas galinhas estão produzindo muito bem, mas onde eu entrego os ovos já tem mais pessoas vendendo”, diz ela, ao mencionar o crescimento da concorrência.

Há dois anos trabalhando com galinhas poedeiras, Ana Durce deixou a área acadêmica para se dedicar à pecuária. Ao se aposentar, resolveu resgatar as suas raízes ancestrais. “São memórias boas de infância. Meus avós e meus pais eram pecuaristas”, conta. Apesar de também ter outros animais, os pais eram criadores de gado leiteiro. No entanto, sua decisão por galinhas veio da questão financeira. “Pesou o fato de saber que mão de obra para criar gado seria difícil”, afirma.

Apoio para a sustentabilidade

Diante desse cenário, a assistência técnica e a extensão rural pública mostram sua importância no apoio e incentivo aos criadores de animais, trazendo orientações sobre tecnologias de manejo do solo e plantas forrageiras para alimentação animal, além de genética, sanidade animal, saneamento, crédito rural e vários outros pontos que contribuem para a sustentabilidade da atividade.

Maximiliano Cardoso explica que o papel da Emater-DF é oferecer esse apoio multidisciplinar. “Muitas propriedades no Distrito Federal possuem áreas pequenas. Isso também impulsiona a adoção de tecnologias no processo produtivo, a fim de viabilizar o negócio rural no aspecto técnico, financeiro e ambiental”, salienta. Ele diz que até na criação de animais de grande porte com limitação de área – caso dos bovinos -, melhorias nos sistemas de produção podem viabilizar a criação de uma ou mais fases do ciclo produtivo, como de corte e para fornecimento de leite.

*Com informações da Emater-DF

Fonte: AGÊNCIA BRASÍLIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *