Ela chegou! Brasilienses registram chuva em diversos pontos do DF

17 de setembro de 2022

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) havia adiantado que poderia chover nesta semana. Apesar de tímida, a chuva veio, e trouxe esperança de dias menos quentes e secos

Crédito Foto: Matheus Veloso/ Metropoles

A previsão do tempo se cumpriu e trouxe alento aos brasilienses nesta sexta-feira (16/9): finalmente choveu! O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) havia adiantado que poderia chover nesta semana. Apesar de tímida, a chuva veio, e trouxe esperança de dias menos quentes e secos. Os primeiros pingos após mais de 130 dias de estiagem foram registrados em Planaltina, Taguatinga e Águas Claras.

A seca veio acompanhada, nos últimos quatro dias, de calor intenso, com sucessivos recordes de calor. Na quarta-feira (15/9), o DF registrou a maior temperatura do ano: 35,2°C, em Águas Emendadas.. Devido à umidade do ar, em 11%, o Inmet emitiu alerta vermelho por conta dos riscos elevados de incêndios e de problemas de saúde.

Crédito Foto: Minervino Júnior/CB/D.A. Press

Desde domingo (11/9), quando os termômetros marcaram 34°C, os valores não param de subir. Na segunda-feira (12/9), a máxima foi de 34,2ºC, no Gama. No dia seguinte, novo recorde do ano: 35ºC, na parte da tarde.

A notícia chega como um alívio para os moradores do DF, no entanto, ainda deve demorar para que as chuvas comecem com mais regularidade. Confira as orientações da Defesa Civil para evitar problemas de saúde devido à secura:

  • Manter uma boa hidratação (água, sucos naturais, água de coco, etc). Sugerimos portar sempre que possível uma garrafa para reposição de líquidos.
  • Umedecer periodicamente as narinas e os olhos com soro fisiológico.
  • Utilizar hidratantes labiais e cremes corporais para evitar ressecamento.
  • Utilizar umidificador, baldes ou bacias com água ou panos molhados para elevar a umidade do ar em casa.
  • Manter a adequada limpeza dos ambientes, evitando acúmulo de pó e favorecimento de ácaros e fungos, a fim de reduzir crises alérgicas.
  • Dar especial atenção às crianças e idosos, monitorando principalmente a questão de hidratação e doenças respiratórias.
  • Reduzir ou suspender, se possível, as atividades físicas nos períodos mais quentes do dia.
  • Dar preferência a refeições leves.
  • Usar roupas leves, chapéu ou boné.

 

Fonte:Correio Braziliense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.